fbpx
 
 
Operações e logística

As lições de Kipchoge sobre produtividade nos negócios

Compartilhar
 
Operações e logística

novembro 12, 2019

As lições de Kipchoge sobre produtividade nos negócios

Compartilhar

O que um maratonista queniano tem em comum e as empresas que sobrevivem e até vencem em tempos de crise?

 

Em 12 de outubro de 2019, Eliud Kipchoge fez história ao correr uma maratona em menos de duas horas, tornando-se o primeiro homem a realizar esse feito e quebrando uma barreira por um longo tempo considerado inquebrável. Por trás do feito queniano, há várias lições importantes sobre como a preparação e a tecnologia podem nos ajudar a obter maior eficiência.

Para percorrer 42,2 km em menos de duas horas, é necessário um ritmo de 2 minutos com 50 segundos por quilômetro. Essa velocidade é o que os atletas universitários de alto desempenho geralmente têm em corridas e corridas de distância muito menor. Kipchoge teve que manter esse ritmo por 120 minutos. Ou seja, ele teve que manter seu corpo funcionando com eficiência máxima por um período prolongado.

Como ele conseguiu?

Primeiro, embora Kipchoge seja um atleta do mais alto nível, ele teve que fazer mudanças em seu treinamento e dieta normais. Por mais de quatro meses, Kipchoge treinou constantemente no Quênia – vivendo uma existência quase monástica, na qual tudo girava em torno de tornar seu corpo mais eficiente. Ele ainda adicionou treinamento para fortalecer a área abdominal, para evitar tensão nos tendões. Tudo isso com um objetivo em mente: correr uma maratona em menos de duas horas.

Depois de ter certeza de que seu corpo operava da maneira mais eficiente, sua equipe acrescentou tecnologia. Eles selecionaram uma pista muito plana e muito reta em Viena, com poucas voltas. Adicionaram uma equipe de 5 atletas em formação de V para protegê-lo do vento, revezando-se para acompanhar. Eles finalmente aproveitaram um par de sapatos esportivos projetados para melhorar o tempo dos maratonistas.

Todos esses fatores contribuíram para Kipchoge alcançar a máxima eficiência e quebrar a barreira da maratona de duas horas.

Essa mesma busca por eficiência é comum nas empresas, especialmente em tempos de crise econômica, onde devemos aprender a operar com menos para alcançar as margens que manterão a empresa lucrativa durante o período de desaceleração econômica. Podemos aprender várias lições de Kipchoge.

As lições de Kipchoge

Primeiro Kipchoge melhorou sua preparação pessoal para estar em ótimas condições para atingir seu objetivo. Ele tinha um regime rigoroso de treinamento, alimentação e descanso focados 100% em seu corpo, funcionando de maneira ideal para o evento. Da mesma forma, nas empresas, a primeira coisa é otimizar as operações com recursos disponíveis internamente: Produto, Processos e Pessoas.

O produto a ser produzido de acordo com as necessidades dos clientes deve ser bem planejado (lembre-se de que o objetivo é rentabilidade, não a produção de mais produtos em menos tempo). Para isso, é necessário ter uma coordenação estreita com as áreas comercial e estratégica, que podem planejar a demanda e informar as decisões de programação da produção. Você também pode usar dados históricos e de mercado que, analisados ​​com algoritmos, podem ajudá-lo a planejar os cronogramas de produção da maneira mais eficiente, evitando alterações desnecessárias nas linhas de produção. Isso economiza o tempo do planador e lhe dá uma função de tomada de decisão, com base em dados confiáveis, não apenas na experiência.

Nos processos, pode-se avaliar se os técnicos têm todos os materiais necessários em mãos, para que tenham a menor quantidade de movimentos desnecessários. As máquinas e seu arranjo podem ser otimizados para garantir o fluxo mais eficiente entre as partes do processo de produção. A manutenção preventiva também pode ser agendada para evitar paradas devido a acidentes ou disfunção.

A equipe da fábrica, pode apresentar oportunidades para melhoria da eficiência. Ele procura evitar exigir pagamentos de tempo extra para atingir as metas acordadas com as áreas comercial e estratégica. Os processos também podem ser avaliados para garantir que nenhum trabalhador demore muito em uma etapa ou que outro trabalhador tenha muita carga de trabalho.

É muito comum observar que, se uma análise profunda do status da produção em qualquer setor for realizada e os movimentos do piso forem revisados ​​em detalhes, há oportunidades muito claras de aprimoramento. Na Sintec Consulting, temos a capacidade de avaliar as plantas de produção e obter uma melhoria na taxa de preenchimento entre 5 a 10 pontos e uma redução de 5 a 15% no custo operacional. Tudo isso trabalhando apenas com os recursos existentes da empresa.

Ya optimicé mi proceso productivo instalado. ¿Qué sigue?

Para aqueles que, como Kipchoge, querem quebrar barreiras, a tecnologia geralmente precisa ser adicionada para alcançar os objetivos. No caso do maratonista queniano, essa tecnologia estava principalmente na seleção de rotas, a equipe de corredores que o acompanhava e os tênis Nike Vaporfly Next%, mas nenhum desses facilitadores teria servido se o corredor não tivesse preparado seu corpo para os níveis ideais.

Com as bases certas, as empresas podem recorrer a tendências tecnológicas como automação de processos, automação baseada em informações e terceirização. A Sintec pode ajudar as empresas a avaliar opções e tomar decisões mais informadas para selecionar as mais apropriadas.

A automação de processos inclui a adição de robôs para automatizar partes da cadeia de produção. A Sintec pode ajudar as empresas a avaliar se elas devem ser adicionadas considerando o custo de aquisição e manutenção em comparação com salários, benefícios e outros fatores que os funcionários humanos representam.

Quanto à automação baseada em informações, existem sistemas inteligentes para agendar a produção com base nos dados da capacidade produtiva dos recursos, configurar matrizes e restrições de sequenciamento. O SAP Production Planning / Detailed Scheduling da é um deles. Com este programa, você pode reduzir o tempo de programação do gerente responsável, atribuindo a você um papel de tomada de decisão e menos experiência. A Sintec pode ajudar as empresas a determinar se essa solução pode ajudá-las a atingir seus objetivos e até mesmo implementá-lo.

A terceirização é outra tendência que pode nos ajudar a otimizar a produção. A delegação de tarefas pouco frequentes ou muito caras a terceiros pode reduzir significativamente os custos operacionais, se realizados de maneira inteligente. Para isso, é necessário determinar quais partes da cadeia de produção ou quais produtos devem ser terceirizados. A Sintec pode ajudar as empresas a fazer uma análise baseada em custos, controle de qualidade e logística para tomar uma decisão mais informada nesse caso.

A mensagem é clara: não se trata de comprar tecnologia e esperar que ela faça mágica. Você precisa preparar a organização, escolher a tecnologia certa e garantir sua implementação.

Essa combinação entre preparação e otimização interna, auxiliada pelas tendências tecnológicas do setor, pode ajudar as empresas não apenas a lidar com os tempos de crise, mas também a quebrar barreiras, como Kipchoge fez na maratona de duas horas. Para isso, é importante contar com o apoio de um especialista da área, que pode fornecer avaliações objetivas e aconselhar para otimizar o desempenho produtivo da empresa de acordo com um objetivo comum – a lucratividade.

 

Referências

  • Arribas, Carlos. “Eliud Kipchoge, Primer Atleta Que Baja De Las Dos Horas En Un Maratón: 1h 59m 40s.” EL PAÍS, Ediciones EL PAÍS S.L., 13 Oct. 2019, https://elpais.com/deportes/2019/10/12/actualidad/1570844672_066863.html.
  • Keh, Andrew. “Eliud Kipchoge Breaks Two-Hour Marathon Barrier.” The New York Times, The New York Times, 12 Oct. 2019, https://www.nytimes.com/2019/10/12/sports/eliud-kipchoge-marathon-record.html.
 


Gerente de Estratégia do Cliente, Monterrey

 


Consultor de Estratégia de Operações, Monterrey

Abrir chat
¿Buscas más información?