fbpx
 
 
Estratégia Empresarial

Crescimento Rentável na América Latina

Compartilhar
 
Estratégia Empresarial

janeiro 15, 2012

Crescimento Rentável na América Latina

Compartilhar

O principal objetivo de qualquer executivo é conseguir um crescimento rentável da empresa sob sua responsabilidade. Entretanto, uma pesquisa realizada pela Sintec sobre 132 empresas da América Latina que têm suas ações na bolsa revela que só cerca de 20% das empresas atingem este objetivo. O propósito deste artigo é mostrar os principais acertos e práticas que foram implementados pelas empresas que estão conseguindo um crescimento rentável na América Latina.

Quando se pensa em crescimento, vêm à mente ideias de incrementar vendas, melhorar preço, fazer crescer a participação de mercado e comprar empresas; Quando la variável é rentabilidade, se mencionam otimização de despesas e custos, melhorar o retorno sobre ativos, a eficiência, entre outros. Nossa pesquisa revela que as empresas que conseguem um crescimento rentável vão além dessas ideias. O que distingue estas empresas é que são capazes de desenvolverem uma visão de empresa articulada em modelos de negócio sustentados em competências ao longo de sua cadeia de valor, que permite identificar, criar, entregar e continuamente extrair valor do mercado.

A pesquisa da Sintec contem duas dimensões: uma dimensão quantitativa que identifica as empresas de maior crescimento rentável na América Latina, com base em resultados econômicos e indicadores de processos (crescimento vendas, % lucro operação, retorno sobre ativos, rotação de inventários, rotação de carteira) correspondentes aos anos 2007-2009.

A outra é uma dimensão qualitativa, enfocada ao grau de maturidade das empresas em suas práticas e o alinhamento destas ao mercado. Nesta seção, são analisadas as empresas a partir de 6 arestas diferentes: o entendimento que têm do mercado e a colaboração com seus sócios comerciais, sua estratégia comercial, sua execução e gestão comercial, sua estratégia operacional, sua execução e gestão de fornecimento, assim como os habilitadores utilizados na empresa.

Para poder analisar a empresa e poder tomar decisões, devemos ter uma visão ampla e de conjunto. Isto é, analisar não só a empresa quanto a sua estratégia, suas práticas, seus processos e sua gestão, mas também ver a indústria e o ambiente em que esta se desenvolve. Seguindo esta lógica, analisamos o impacto de cada uma dessas variáveis no crescimento na rentabilidade das empresas.

PESQUISA QUANTITATIVA
  • As ações internas da empresa são um elemento fundamental para o crescimento rentável

A Figura 1 mostra no eixo horizontal o % de rentabilidade da empresa e no eixo vertical, o % de crescimento da empresa. Cada ponto da gráfica representa uma empresa do estudo e a forma desse ponto vai de acordo com o setor da mesma (consumo, varejo, serviços e indústria).

Esta informação é incisiva: só 18 de 100 empresas analisadas no exercício (Fig. 1) conseguem estar no quadrante de alto crescimento e rentabilidade (C+R+). Além disso, os dados mostram que existem empresas de todos os ramos no quadrante de alto crescimento e rentabilidade.

Isto nos leva a concluir que um fator determinante para que uma empresa tenha melhores resultados vs outras de sua mesma indústria são as ações internas que se realizam nesta. Por ações internas, nos referimos ao desenvolvimento de competências e modelos de negócio baseados em práticas, processos, habilitadores e gestão, e não somente a que existem diretrizes de negócio.

  • A estratégia não é suficiente para conseguir um crescimento rentável – o que

Analisando com mais detalhe a importância do que na empresa, isto é, a estratégia, observamos que não é suficiente pôr como estandarte na estratégia da empresa crescer para conseguir a rentabilidade desejada. Por exemplo, 91% das empresas varejistas da pesquisa (Figura 2) mencionam em seus relatórios anuais que o crescimento é um objetivo estratégico, mas apenas 33% conseguiram um crescimento rentável. Então, por um lado, estabelecer diretrizes não assegura que os resultados vão ser obtidos, deve ser estabelecido e executado o como.

Por outro lado, o crescimento por si mesmo não necessariamente traz rentabilidade, uma coisa que muitos executivos pensam e agem como se assim fosse. Entretanto, é indispensável crescer para não ver limitadas as opções estratégicas de médio e longo prazo. Este impacto de médio ou longo prazo pode ocorrer em uma empresa que fica estática diante das mudanças em seu ambiente (ex. consolidações das empresas do setor) ou devido a causas internas, como a perda do recurso humano que vê seu desenvolvimento estancado pela falta de crescimento da empresa.

  • Las acciones internas de la empresa son un elemento fundamental para el crecimiento rentable

En la figura 3 se puede observar en el eje vertical el índice de productividad y eficiencia, y en el eje horizontal el índice de crecimiento y rentabilidad. Estos índices se encuentran normalizados, es decir, reflejados en una escala de 0 a 1 en donde el valor de 1 refleja un mejor desempeño.

Os indicadores utilizados para o índice de produtividade e eficiência são: retorno sobre ativos como proxy de produtividade da empresa, a rotação de inventários como proxy e de eficiências e contas por cobrar como proxy e de agilidade na empresa. Para o índice de crescimento e rentabilidade, os indicadores utilizados são % de crescimento em vendas e % de lucro de operação sobre as vendas.

Esses dados mostram uma relação direta entre os dois índices; as empresas que têm maiores índices de crescimento rentável tendem a gerir melhor seus ativos. Esta melhor gestão deve ser derivada de ter práticas mais desenvolvidas que sua concorrência, tanto na operação quanto na gestão.

Esta informação também é incisiva. O que indica é que as empresas que têm maior crescimento rentável desenvolveram melhores capacidades e competências que sua concorrência. A rentabilidade implica um melhor uso de recursos ao longo da cadeia de valor. Este melhor uso é conseguido por meio de ter desenvolvido práticas, processos, gestão. O crescimento, por sua vez, traz consigo uma maior complexidade em termos de produtos e clientes. Se uma empresa tenta crescer sem ter desenvolvido competências, a complexidade vai cobrar a fatura e isso vai se transformar em maiores custos. Por isso, o crescimento não necessariamente se converte em rentabilidade.

Até aqui, são os resultados da pesquisa quantitativa. Nossa conclusão, com toda esta informação, é que as empresas que conseguiram maiores índices de crescimento rentável puderam desenvolver melhores práticas de operação e gestão integradas em um modelo de negócio. Para comprovar isto e entender melhor este aspecto, realizamos uma pesquisa qualitativa, que é descrita a seguir.

PESQUISA QUALITATIVA
  • As competências são um diferencial das empresas de maior crescimento rentável

Na figura 4, nós podemos observar no eixo horizontal o nível de desenvolvimento que têm 14 das empresas analisadas em 6 grandes competências:

1) entendimento do mercado e colaboração com sócios comerciais.

2) estratégia comercial.

3) execução e gestão comercial.

4) estratégia operativa.

5) execução e gestão de fornecimento.

6) habilitadores.

Estas 6 competências nos ajudam a formar um índice de Nível de Maturidade da Prática, em que o valor de 5 representa o resultado de maior desenvolvimento da competência. Esta informação foi obtida através de um questionário aplicado a executivos das empresas. No outro eixo, o eixo vertical, podemos ver um índice de crescimento e rentabilidade. Os indicadores utilizados neste eixo são % de crescimento em vendas e % de lucro de operação sobre vendas. O valor 1 representa o resultado de melhor desempenho, estando esse índice normalizado.

A Figura 4 permite afirmar que existe uma correlação positiva entre o nível de desenvolvimento das competências de uma empresa com seu crescimento e rentabilidade, isto é, uma empresa cujas práticas são mais desenvolvidas que sua concorrência incrementa suas probabilidades de conseguir um crescimento rentável.

  • O desenvolvimento de Competências integradas em um Modelo de Negócio

Na Figura 5, nós podemos fazer a comparação de duas empresas de consumo (representadas como empresa 1 e 2) e de duas empresas da indústria da construção (representadas como empresa A e B, no desenvolvimento das competências analisadas. Cabe mencionar que a empresa 1 tem um maior índice de crescimento rentável em comparação com a 2, assim como a empresa A sobre a B.

Ao analisar esta comparação, podemos observar que as empresas que têm maior índice de rentabilidade (1 e A), têm tanto um maior nível de desenvolvimento de suas Competências quanto um melhor equilíbrio entre elas. O que isto sugere é que as empresas de maior crescimento rentável foram capazes de desenvolver, de maneira mais uniforme e integrada, Competências que requerem, que partem de um melhor entendimento do mercado e que suportam um Modelo de Negócio que elas escolheram para gerar valor, isto é, tanto a área comercial, de fornecimento, de marketing e demais departamentos se acham alinhados e suportados entre si para gerar valor para o cliente e para responder às exigências do mercado.

  • Falabella e Concha y Toro: empresas de alto crescimento rentável

As empresas chilenas Falabella e Concha y Toro são exemplos de empresas que conseguiram ter crescimento rentável e que têm uma visão integral de geração de valor enfocada no mercado, dentro de seu Modelo de Negócio. Ao analisar empresas como a Falabella e a Concha y Toro, encontramos na linguagem diária de seus executivos palavras como informação, colaboração, segmentação, diferenciação, equilíbrio, estratégia clara, inovação, visão de futuro, recurso humano sólido. Algumas ações que essas empresas implementaram são descritas nos quadros anexos

Os resultados da pesquisa qualitativa tendem a comprovar o que nós afirmamos antes: as empresas que conseguem os maiores índices de crescimento rentável são aquelas que puderam desenvolver melhores práticas de operação e gestão integradas em um modelo de negócio. Em outras palavras, seu Modelo de Negócio e as competências desenvolvidas são o que lhes dá capacidade para crescer. Atacar oportunidades de mercado deixando a um lado o desenvolvimento de Competências e o Modelo de Negócio não leva a um crescimento rentável.

Acrescentada às conclusões das seções quantitativa e qualitativa descritas ao longo do artigo existe uma série de acertos que devemos procurar implementar, assim como alguns desacertos que devemos evitar para poder conseguir um crescimento rentável.

CONCHA Y TORO

Empresa Chilena: Produtora de vinho tinto e vinho branco.

Maior companhia vinícola da América Latina

Um dos líderes globais de sua indústria

Crescimento 15,9% média 2007 – 2009, comparada com 13,7% do ramo Lucro de Operação 20% média 2007 – 2009 comparada com 20 % do ramo

Entendimento do Mercado e Colaboração

  • Diversificam seus clientes, atacando distintos segmentos de clientes
  • Têm alcance global, focalizados em seus mercados principais
  • Investem em inovação: marketing e novas apresentações de produtos

Estratégia Gestão e Execução Comercial

  • Têm foco exclusivamente em vinhos.
  • Respondem a novas tendências dos consumidores e atendem a cada um dos segmentos.

Estratégia Operativa, Execução e Gestão Abastecimento

  • Estão integrados verticalmente em sua cadeia produtiva.
  • Possuem a maior rede de distribuição de vinho de todo o Chile.

Habilitadores

  • Tornaram eficientes os processos realizados previamente em papel por meio de uma solução ERP de SAP.
  • Automatizaram a força de vendas com soluções móveis.
  • Monitoramento de distribuição via ferramentas GPS.
FALABELLA

Holding Chileno (magazines, homecenters, hipermercados, Bancos)

Presença no Chile, na Argentina, no Peru e na Colômbia

216 complexos de venda

21 complexos imobiliários

Crescimento 13,6 % média 2007 – 2009 comparada com 12% do ramo

Lucro de Operação 12,7 % média 2007 – 2009 comparada com 11,6 % do ramo.

Entendimento do Mercado e Colaboração

  • Procuram relacionamentos de longo prazo com clientes e fornecedores
  • Têm capacidade de reação para adequar proposta comercial diante de mudanças no ambiente
  • Segmentam e proporcionam oferta diferenciada aos clientes

Estratégia Gestão e Execução Comercial

  • Geram experiências de compra única e experiências de serviço
  • Oferecem combinação de produtos e uma relação preço / qualidade adequada a cada segmento
  • Possuem marcas com as quais o cliente se sente identificado (inclusive marcas próprias)
  • Melhoram constante e oportunamente sua proposta de valor

Estratégia Operativa, Execução e Gestão Fornecimento

  • Procuram relacionamentos de longo prazo com clientes e fornecedores
  • Têm capacidade de reação para adequar proposta comercial diante de mudanças no ambiente
  • Segmentam e proporcionam oferta diferenciada aos clientes

Habilitadores

  • Contam com informação para a tomada de decisões
  • Implementam RFID para gestão de estoques
  • Têm foco no recurso humano
LIÇÕES DAS EMPRESAS DE MAIOR CRESCIMENTO RENTÁVEL NA AMÉRICA LATINA

1.- O crescimento não assegura rentabilidade. O crescimento simplesmente não gera rentabilidade, se não se conta com as Competências necessárias para administrar em uma maior complexidade gerada pelo próprio crescimento. Às vezes, o crescimento vai destruir valor.

2.- A estratégia não é suficiente para um crescimento rentável, o como é fundamental

3.- Desenvolver Competências abre oportunidades. As empresas não concorrem com seus produtos e serviços, mas com as capacidades que têm transformadas em competências, habilidades para competir. Essas competências se dão em pelo menos cinco elementos:

  • Entendimento do Mercado
  • Propostas de Valor
  • Estratégia e Execução Comercial
  • Estratégia e Execução de Fornecimento/Serviço
  • Gestão

4.- Integrar Competências em torno de um Modelo de Negócio relevante para o mercado gera um crescimento rentável.

A grande aprendizagem desta pesquisa é que o crescimento rentável das empresas NÃO consiste em procurar constantemente oportunidades no mercado e tentar capitalizá-las, como é a forma de agir de muitos executivos que, em seu propósito de crescer, empreendem esforços que finalmente se traduzem em resultados não esperados. O desenvolvimento de Competências abre oportunidades, mas, em última instância, o crescimento rentável se dá quando essas competências se geram integradas a um Modelo de Negócio que contém elementos relevantes para o mercado e capazes de gerarem valor.

 

Sócio Diretor, Sintec

Há mais de 30 anos de experiência transformando e gerando valor para empresas na América Latina. Foi reconhecido por criar uma das empresas de consultoria de maior sucesso, crescimento rápido e lucratividade na América Latina. Participa ativamente de diferentes conselhos de administração de empresas líderes no México e ajuda empreendedores desde os estágios iniciais de incubação até etapas avançadas.

 

Sócio Diretor, Sintec


Há mais de 30 anos de experiência transformando e gerando valor para empresas na América Latina. Foi reconhecido por criar uma das empresas de consultoria de maior sucesso, crescimento rápido e lucratividade na América Latina. Participa ativamente de diferentes conselhos de administração de empresas líderes no México e ajuda empreendedores desde os estágios iniciais de incubação até etapas avançadas.